terça-feira, 31 de março de 2009

Aquele "sentimento de bolha"...



Falando com uma amiga de longa data...
Apercebi-me de como o tempo fugiu entre os dedos... E mal o vimos passar...
Realmente o que mais queriamos naquela época era que o tempo passa-se e depressa (que já ontem era tarde, hihi)! Mas agora ele passou...
O que eu não dava para voltar aquelas tardes abafadíssimas de verão, em que a maralha toda lá andava escondida à sombra, brincávamos até nos fartarmos, em que víamos filmes, novelas, tudo o que pudesse passar na rtp1 porque os outros canais estavam cheios de chuva, fazíamos aqueles bolos que nós sabemos, em que passávamos os dias a correr atrás “deles”, e “eles” desapareciam, os maganos!!! A diversão era completa (embora nós achassemos que não!), e quando chegava aquela hora e fugíamos para aquele sitio onde não deveríamos estar mas que era o melhor que podia haver... E depois lá vinha a hora do tanque!!!
Muito bom!!! Depois de uma tarde inteira com aquele “sentimento de bolha”!!!
Era mel!!!

Volta atras, só por uns instantes!!!
Aqueles que por lá andaram sabem do que falo!!!
Miss you!!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Os desenhos animados (nunca acaba mal)

Nos Desenhos Animados
Os Azeitonas
Composição: Miguel AJ



Eu quero a sorte de um cartoon
Nas manhãs da RTP1
És o meu Tom Sawyer
E o meu Huckleberry Finn
E vens de mascarilha e espadachim
Lá em cima, há planetas sem fim

Tu és o meu super-herói
Sem tirar o chapéu de Cowboy
Com o teu galeão e uma garrafa de rum
Eu era tua e de mais nenhum
Um por todos e todos por um

Nos desenhos animados
Eu já conheço o fim
O bem abre caminho
A golpes de espadachim
E o príncipe encantado
Volta semrpre para mim

Eu sou a Jane e tu Tarzan
A Julieta do meu Dartagnan
Se o teu cavalo falasse
Tinha tanto para contar
Há fantasmas debaixo dos meus lençois
Dos tesouros que escondemos dos espanhóis

Nos desenhos animados
Eu já conheço o fim
O bem abre caminho
A golpes de espadachim
E o príncipe encantado
Volta sempre para mim

Quando chegar o final
Já podemos mudar de canal
Nos desenhos animados
É raro chover
E nunca, quase nunca acaba mal.
By the power of GreySkull

domingo, 22 de março de 2009

Passa passa passa...



"Sou o tempo que não passa, quando a saudade me abraça..."

Existe algo que não passa...
Algo que te põe acima de tudo que de repente se desmorona...
Porque não é suficiente ou porque és mais do que esperavam de ti...
Porque não te atingiam porque simplesmente não te ias interessar...
Tanta coisa para fazer, tanto para ver, tanto para descobrir...
Milhões de pessoas para conhecer...
Apenas vês aquela pessoa... Aquela que já passou... Aquela que insiste em ficar...
Nem ele próprio sabe se quer ir ou quer ficar...




quinta-feira, 19 de março de 2009

Mudar para quê? Ficar na mesma como?

Está na altura de mudar, olhar à volta e seguir...


Apenas seguir em frente, deixar a vida fluir, ela tomará o seu rumo, encontrará uma saída...


Não sou eu que decido apenas tenho que agir e tudo o resto acontecerá...


Não é necessário fazer nenhum projecto, apenas ir fazendo... Viver...


SOMETIMES LIFE CAN BE BEAUTIFUL... ;)

domingo, 8 de março de 2009

Algo mágico...


Flor-de-Lis
Todas as ruas do amor
Letra: Pedro Marques / Música: Pedro Marques, Paulo Pereira



Se sou tinta, tu és tela
Se sou chuva, és aguarela
Se sou sal, és branca areia
Se sou mar, és maré-cheia
Se sou céu, és nuvem nele
Se sou estrela, és de encantar
Se sou noite, és luz para ela
Se sou dia, és o luar

Sou a voz do coração
Numa carta aberta ao mundo
Sou o espelho d’emoção
Do teu olhar profundo
Sou um todo num instante
Corpo dado em jeito amante
Sou o tempo que não passa
Quando a saudade me abraça

Beija o mar o vento e a lua
Sou um sol em neve nua
Em todas as ruas do amor
Serás meu e eu serei tua

Se sou tinta, tu és tela
Se sou chuva, és aguarela
Se sou sal, és branca areia
Se sou mar, és maré-cheia
Se sou céu, és nuvem nele
Se sou estrela, és de encantar
Se sou noite, és luz para ela
Se sou dia, és o luar

Beija o mar o vento e a lua
Sou um sol em neve nua
Em todas as ruas do amor
Serás meu e eu serei tua

O Tempo...

O Tempo... Aquilo que ninguém sabe o que é, que nunca ninguém viu, mas que todos falam e dizem precisar...


Mas para quê?
Porquê ser dependente de algo que nos faz cair no esquecimento, ou simplesmente, nos faz ignorar o que se passa à nossa volta...


Para quê tanta preocupação?
Quando deviamos ignorá-lo e apenas viver ao nosso ritmo sem marcar um ponto de partida ou dizer "agora acabou"... Apenas devia ser algo em que arriscamos, jogamos, vivemos... Tudo para ser feliz...

Aproveitar para sorrir...

Talvez um dia volte a ser espontaneo... Para já não estou preparada...


Esse tempo avança e não pára, não faz nada que se possa levar conta pois como dizem "tudo passa", não se sabe é quando... É pena o tempo passar só porque sim, quando se podia aproveitá-lo da melhor forma...


Sem pensar...

Apenas ser feliz...

O mau... é que quanto mais livres somos, mais queremos depender de alguém... Mas esse alguém anda por aí... como eu, como tu, não sabe quando está preparado porque ninguém sabe...

Apenas ARRISCA...

Não tenhas medo...

Não deixes que alguém esteja triste porque tu receias seguir em frente...

ARRISCA!!! Só assim saberás se resulta...

E o tempo encarrega-se de fazer a história continuar...

sexta-feira, 6 de março de 2009

Porquê??? Porquê?? Porquê?


Porquê gostar? Porquê gostar de ti? Porquê tu? Porquê ele?
Quando todo o mundo gira... Eu me sinto perdida... Perdida dentro do teu labirinto que não tem saída nem para ti... Posso dizer tal como se estivessemos em pontas opostas de uma roda gigante de onde se vê o mundo em mudança constante, em evolução e nós não saimos do mesmo sitio, da mesma situação e me impedes de continuar em frente...
Porquê gostar? Porquê sentir?
Não entendo porque temos de depender desses sentimentos que nos acabam sempre por magoar por mais que tentemos evitar...