segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Carta a M.


M.,

Como foi tudo isto acontecer entre nós? Não era suposto, nunca tal me passou uma única vez pela cabeça. Como foi possível?

Fomos amigos durante tantos anos e assim devíamos ter continuado...

O que aconteceu foi bom, apesar de todos os avisos, de tudo o que já sabíamos... Eu sabia que iria acontecer mais dia, menos dia... Foram poucos meses mas demasiado intensos para pensar ser verdade... Meses de dúvida, sem saber o que sentia e quando tudo começava a ficar claro conseguiste mandar tudo abaixo, destruir tudo o que tínhamos construído sem nenhum de nós estar à espera. 
Temos tanto por dizer, a conversa entre nós não acaba... Não entendo... A conversa fluí sem motivo, apenas porque sim, porque é bom quando "estamos" juntos. Como disseste "entre nós era demasiado simples..." porque foste complicar? Porque preferes fazer da tua vida essa indecisão, continuares a ser manipulado... um brinquedo...
Não entendo... Mas a vida é tua e a ti te cabe fazer dela o que quiseres...
A tua decisão foi tomada e a minha também... Não haverá volta a dar... Segue a tua vida que seguirei a minha e não farei o mínimo esforço para que nos voltemos a cruzar... Com muita pena porque gosto imenso de ti como pessoa, como amigo... Mas para já, não somos compatíveis, existem demasiadas emoções que mexem connosco para podermos ser simplesmente amigos...



"Há sempre um piano selvagem que 
nos gela o coração..." 

Adeus,

Beijo